Saltar para conteudo
Visitar TBA
Anterior

Fred Moten, A Defense of Two-Dimensionality

Vídeo

 

A conferência de Fred Moten apresenta-se como tentativa de investigar aquilo a que se pode chamar um afastamento físico relativamente a certas suposições metafísicas que sustentam e minam a insurreição negra e queer. Como um movimento que tenta abordar e habitar o que poderíamos chamar a “aglomeração” da música de Cecil Taylor, nos momentos em que o uníssono dá lugar a uma densa proximidade, ao mesmo tempo que deseja considerar afinidades problemáticas entre as ideias de unidade e separabilidade e o ideal da tridimensionalidade. Apresentando o seu percurso discursivo como uma canção, uma dança de prosa e verso em criticalidade, Moten toca zonas de pensamento de Leonard Susskind, Karen Barad, Francisco Zalamea e Laura Harris, entretecendo-as com a ‘(p)andimensionalidade’ praticada pelo pintor Jack Whitten, e ligando-as à fugitividade (mais do que à emancipação) da dissonância.

A conversa iniciada nesta conferência abre para um workshop reagendado para 2022 abordando temas da história do jazz como a irrupção da música experimental negra, em intersecção com questões da teoria da liberdade e da teoria queer. Integra o ciclo Expanded Practices All Over, um espaço de pensamento colectivo organizado por Paula Caspão em torno da diversificação dos usos da expressão “práticas expandidas”.

 

Este teatro tem esta newsletter
Fechar Pesquisa