Saltar para conteudo
Visitar TBA
Anterior Anterior
20 Janeiro
[Cancelado]

Pierre Bastien, Vuduvum Vadavã e Cire Ndiaye

12 eur.
Música
Cancelado Cancelado Cancelado Cancelado Cancelado

20 Janeiro

sexta 19h30

Música
Preço 12 eur.
Incluído no Passe Cultura (disponível apenas na Bilheteira do TBA)
Sala Principal
Duração 60 min.

Classificação Etária:

M/6

Trompete e objetos
Pierre Bastien
Voz e Eletrónicas, Paua (synth)
Vuduvum Vadavã
Violino
Cire Ndiaye

Cancelamento

Lamentamos informar que, por motivos de saúde, Pierre Bastien não poderá viajar para Lisboa. Estamos, porém, a trabalhar para encontrar uma nova data para este concerto. Solicitamos às pessoas que já adquiriram o bilhete que contactem diretamente o ponto de venda onde foi adquirido pedindo reembolso até 28 fevereiro. Se adquiriram o bilhete online, devem contactar diretamente a Blueticket (infoblueticket2@blueticket.pt, info@blueticket.pt ou pelo número de telefone 1820) Agradecemos a vossa compreensão.

 

Pierre Bastien é um músico francês que atua na fronteira entre as artes plásticas e a música, seguindo uma longa tradição de luthiers (construtores de instrumentos de cordas com caixa de ressonância) insólitos que remonta aos órgãos hidráulicos de Arquimedes. Michel F. Côté, músico e habitual colaborador de Pierre Bastien, classifica o trabalho deste como “uma orquestra de som atemporal, futurista e levemente Dada, evocando tradições antigas na sua música surpreendentemente sensual”.
Em contexto de instalação ou concerto, o centro da performance está nas invenções mecânicas de Pierre Bastien construídas a partir de peças Meccano, que ativam todo um aparato de instrumentos do-it-yourself através de motores e engrenagens. A complexidade dos mecanismos contrasta com a fragilidade das estruturas que os sustentam e isso manifesta-se na música que deles emana uma transparência que encontramos também na música dos vários artistas com quem Bastien tem colaborado, como Robert Wyatt, Pascal Comelade ou Jaki Liebezeit. Esta orquestra delicada projeta um jogo de sombras que nos remete para a antiguidade imaginária do gamelão javanês e das orquestras reais do Uganda descritas pelo génio bizarro de Alfred Jarry ou Raymond Roussell.
Para a apresentação no TBA, Pierre Bastien faz-se acompanhar por Vuduvum Vadavã, alterego de Marta Ângela (metade de Von Calhau!, artista multidisciplinar com uma prática extensa na manipulação de signos por via do som, da palavra e de artefactos visuais) e da jovem violinista Cire Ndiaye, que tem vindo a traçar um percurso peculiar entre a música clássica, a pop e a improvisação.

Este teatro tem esta newsletter
Fechar Pesquisa