Maria Reis (1993, Lisboa) começa o seu percurso na música como compositora, produtora, guitarrista e cantora aos 15 anos com a banda Pega Monstro. Simultaneamente pela mesma altura, cria e gere a editora lisboeta Cafetra Records. O projeto a solo inicia-se em 2017 onde a colaboração com a Sara Graça se começa a articular e multiplicar. As capas dos discos Chove na Sala, Água nos Olhos (2019) e do mais recente A Flor da Urtiga (2021), passando pelos vídeos dos temas “Ó Miguel” (das Pega Monstro) “Preguicite” e “Odeio-te”.
Ao vivo esta dinâmica viu-se em várias ocasiões, como no Festival Curtas de Vila do Conde (2017), na Fundação Calouste Gulbenkian (junho 2020) e agora no TBA.