Saltar para conteudo
Visitar TBA
Anterior Anterior
24 Setembro
Valérie Castan

Experimentar com a descrição

Passe 3 sessões 7 eur.
Dança
Pensar a Audiodescrição em Dança

24 Setembro

sábado 10h – 14h

Destinado a audiodescritores, bailarinos, coreógrafas, artistas em geral e público interessado em audiodescrição.

•O acesso ao TBA deve fazer-se pela Entrada de Artistas situada no Largo Hintze Ribeiro, junto à Rua de São Bento.
•O acesso faz-se através de um portão cinzento (junto ao número 6).
•Pessoas com cadeira de rodas deverão solicitar acompanhamento do Vigilante através do vídeo-porteiro para atravessamento do logradouro. Para aceder à Sala de Ensaios, existe ainda um lance de escadas.
•No piso da Sala de Ensaios, existe um WC acessível.
•Para questões específicas de mobilidade, por favor entre em contacto com bilheteira@teatrodobairroalto.pt.

Dança
Pensar a Audiodescrição em Dança
Preço Preço por sessão 3 eur. Passe 3 sessões 7 eur.
Sala Manuela Porto
Duração 4h

Curadoria Ana Rita Teodoro
Com o apoio de Henrique Neves
Produção Associação Parasita / Carolina Gameiro e Lysandra Domingues
Apoio República Portuguesa – Cultura | Direção-Geral das Artes

Programa Pensar a audiodescrição em Dança

Encontro
23 Setembro
sexta 10h – 14h
Sessão de escuta de audiodescrições com a participação da APEDV
Britt Hatzius. Audiodescrição como ferramenta performativa 

Workshop
24 Setembro
sábado 10h – 14h
Valérie Castan. Experimentar com a descrição 

Conferência
24 Setembro
sábado 16h
Eliana Franco. A audiodescrição em dança como processo contínuo de interação, investigação e evolução. 
Duração 90 min.

Workshop
25 Setembro
domingo 10h – 14h
Mariana Rodrigues. Movimento e escrita criativa
Eliana Franco. Sensibilização à audiodescrição para dança

Conferência
25 Setembro
domingo 16h
Valérie Castan. Audiodescrição de espetáculos coreográficos 
Duração 2h

Valérie Castan é artista coreográfica e audiodescritora. Formada em Dança pelo CNDC de Angers em 1986 e licenciada em metodologia de audiodescrição para cinema, no Esit, Paris-Dauphine, metodologia esta que transpõe para  a audiodescrição de espetáculos coreográficos.

 

A audiodescrição é um processo de acessibilidade que consiste em descrever verbalmente uma obra para pessoas cegas e com baixa visão. A audiodescrição em dança coloca diversas questões, uma vez que ela é em si abstrata, isto é, não existe na maioria das vezes um guia de texto e/ou uma dramaturgia clara (uma narrativa) que conduza a espectadora. Que vocabulário escolher para descrever as referências visuais, os movimentos, as ações complexas? Como invocar a emoção no espectador quando este pode não ter referências visuais e corporais possíveis na sua memória e imaginário em relação à dança?

Sob a curadoria da bailarina e coreógrafa Ana Rita Teodoro, apresenta-se um programa de conferências, workshops e encontros com o intuito de lançar a pista de que a audiodescrição para a dança pode ser pensada como um projeto de investigação entre artistas, audiodescritores e o público em questão.

A dança e as artes performativas interdisciplinares têm-se interessado pela questão da acessibilidade com uma dimensão criativa, o que verificamos nos trabalhos de artistas como Valérie Castan e Britt Hatzius, que usam a audiodescrição como uma ferramenta performativa e, por vezes, política. Trazer estes exemplos é poder, eventualmente, pensar numa acessibilidade que seja, em si própria, parte integrante do processo criativo das obras artísticas.

 

A audiodescrição é uma forma de escrita descritiva subjetiva oralizada que também pode servir como abordagem metodológica para a emergência de interpretações do que nos é dado ver. Neste workshop, a audiodescrição será abordada como um laboratório de pesquisa, recorrendo-se a práticas de observação, escrita e oralização a partir da visualização de peças coreográficas.

Em francês, com tradução simultânea.

Este teatro tem esta newsletter
Fechar Pesquisa