logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo logo
Teatro do Bairro Alto Teatro do Bairro Alto Teatro do Bairro Alto Teatro do Bairro Alto Teatro do Bairro Alto Teatro do Bairro Alto Teatro do Bairro Alto Teatro do Bairro Alto Teatro do Bairro Alto Teatro do Bairro Alto
arrow-left arrow-left
Alessandro Sciarroni
CHROMA_Don’t be frightened of turning the page
11 - 13 Outubro
Dança
Abertura
Alessandro Sciarroni
CHROMA_Don’t be frightened of turning the page
11 - 13 Outubro
Dança
Abertura
Alessandro Sciarroni
CHROMA_Don’t be frightened of turning the page
11 - 13 Outubro
Dança
Abertura
Alessandro Sciarroni
CHROMA_Don’t be frightened of turning the page
11 - 13 Outubro
Dança
Abertura
11 - 13 Outubro
Alessandro Sciarroni

CHROMA_Don’t be frightened of turning the page

5€
Dança
Abertura

11 - 13 Outubro

21h30

Excecionalmente as reservas para este espetáculo são válidas apenas até 48h com levantamento prévio 24h antes da sessão

Dança
Abertura
Preço Preço único 5€
Duração 45 min.

Classificação Etária:

M/6

Criação e interpretação Alessandro Sciarroni

Desenho de luz Rocco Giansante

Dramaturgia Alessandro Sciarroni e Su-Feh Lee

Música Paolo Persia

Figurinos Ettore Lombardi

Curadoria, promoção, consultoria Lisa Gilardino

Administração, produção executiva Chiara Fava

Direção técnica Valeria Foti

Técnico Cosimo Maggini

Investigação, comunicação Damien Modolo

Produção corpoceleste_C.C.00#. MARCHE TEATRO Teatro di rilevante interesse culturale

Coprodução CENTQUATRE-Paris, CCN2 – Centre chorégraphique national de Grenoble, Les Halles de Schaerbeek

Alessandro Sciarroni estreia-se em Lisboa com uma obra imaginada a partir de uma reflexão sobre migrações humanas e animais, sobre o regresso ao local de origem. Com título e subtítulo emprestados, respetivamente, de um ensaio sobre o espectro das cores de Derek Jarman e de um EP da sua banda favorita Bright Eyes, o artista italiano apresenta-nos um solo hipnótico que explora a prática e o significado de rodopiar, canalizando a sua atenção na essência puramente física da rotação em torno do seu eixo e nas ressonâncias internas que esta provoca tanto no seu íntimo como no público ao seu redor.

 

O trabalho de Sciarroni centra-se nas relações entre espaço e tempo, e entre consciência interior e consciência do mundo atual. Em 2019, recebeu o Leão de Ouro de carreira em dança na Bienal de Veneza.

“Um exercício de uma transcendência poética que instala na sala, temporariamente, uma pequena cosmologia sagrada em movimento que nos faz desejar mais.”

Alexandra Balona, Público

Eventos Relacionados Eventos Relacionados Eventos Relacionados Eventos Relacionados
Newsletter Newsletter Newsletter Newsletter