Saltar para conteudo
Visitar TBA
Anterior Anterior
03 - 05 Outubro
Fred Moten

Black Preformance: Violence

Inscrições encerradas
Discurso

03 - 05 Outubro

segunda, terça e quarta 14h30 - 17h30

Inscrições encerradas

•O acesso ao TBA deve fazer-se pela Porta Principal situada na Rua Tenente Raul Cascais 1A, junto ao Largo do Rato.
•Na Bilheteira, participantes serão encaminhadas para atravessar a passadeira técnica da Sala Principal e descer três pisos até à Sala de Ensaios.
•Pessoas com cadeira de rodas deverão entrar diretamente em contacto com o TBA para agilizar uma entrada alternativa através do Largo Hintze Ribeiro.
•Para outras questões de mobilidade, por favor entre em contacto com bilheteira@teatrodobairroalto.pt.

Discurso
Preço Preço único 30 eur
Sala de Ensaios
Duração 3h por sessão

Organização Paula Caspão – Ciclo Expanded Practices All Over, Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

O CET é financiado por fundos nacionais através da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito dos projetos I.P. (UIDB/00279/2020 e UIDP/00279/2020).

Comité Científico Peripatético Paula Caspão, Valentina Desideri

 

O TBA fica junto ao Largo do Rato.

Fred Moten ensina Black Studies, Teoria Crítica, Estudos de Performance e Poética nos Departamentos de Estudos de Performance e Literatura Comparada da Universidade de Nova Iorque. É autor de In the Break: The Aesthetics of the Black Radical Tradition e da trilogia consent not to be a single being, entre outros. Em coautoria com Stefano Harney escreveu The Undercommons: Fugitive Planning and Black Study, A Poetics of the Undercommons e All Incomplete. Este seminário integra o ciclo Expanded Practices All Over, com curadoria da artista e teórica Paula Caspão e será documentado num zine que será publicada no futuro pela editora maio maio.

O seminário Black Preformance: Violence começa com uma leitura de Hannah Arendt, Frantz Fanon e Emmanuel Levinas sobre violência – uma matéria que ficou inacabada no meu livro de 2018, The Universal Machine. O trabalho destes autores será observado num pano de fundo composto por trabalhos de Allen Feldman, Denise Ferreira da Silva e Hortense Spillers. A lente, e a questão geral da atitude através da qual esse foco pode ser alcançado, é fornecida por Zur Kritik der Gewalt (Para uma Crítica da Violência) de Walter Benjamin, e por uma seleção da vasta crítica dessa obra, começando com o texto indispensável de Werner Hamacher, “Afformative, Strike.” Mas o que acontece quando a própria lente entra mais claramente em foco, ao ser enquadrada por algum trabalho de W. E. B. Du Bois que antecipa (John Brown), acompanha (Darkwater) e prossegue (Black Reconstruction in America) o texto de Benjamin. Essa abordagem palimpséstica exigirá algumas considerações de ângulos e de anjos. Tentaremos manter a fé topográfica nos textos, lendo atenta e lentamente em conjunto, para que possamos ver se a força preformativa do estudo negro [“black study”] torna as descrições exatas da violência um pouco mais possíveis.

 

Fred Moten

Este teatro tem esta newsletter
Fechar Pesquisa