Saltar para conteudo
Visitar TBA
Anterior Anterior
19 - 20 Dezembro
Florentina Holzinger

Apollon

Dança

19 - 20 Dezembro

Quinta e sexta-feira 21h30

Neste espetáculo, usam-se luzes estroboscópicas (strobe) e fuma-se em cena. Algumas cenas representam ferimentos autoinfligidos.

Em inglês com legendagem em português

Dança
Preço 12€
< 25 anos: 5€

Sala Principal
Duração 90 min.

Classificação Etária:

M/18

Criação Florentina Holzinger
Com Renée Copraij, Evelyn Frantti, Florentina Holzinger, Annina Lara, Maria Machaz, Xana Novais, Maria Netti Nüganen e Stephan Schneider
Desenho de som Stephan Schneider
Dramaturgia Sara Ostertag e Michele Rizzo
Cenografia Nikola Knežević
Treino físico Btissame Amadour

Aconselhamento Manu Scheiwiller e Fernando Belfiore
Técnica Bram Geldhof, Anne Meeussen e Maarten Van Trigt
Produção CAMPO
Coprodução Frascati Producties, La Bâtie – Festival de Genève, steirischer herbst, Münchner Kammerspiele, Sophiensaele, Mousonturm com o apoio de MA7 – Kulturabteilung der Stadt Wien
Apoio à apresentação em Lisboa Embaixada da Áustria

embaixada-austria

“Pussy Riot meets the Power Rangers.”

De Morgen

Como é que circo e ballet caminham lado a lado? Florentina Holzinger responde a esta questão com virtuosismo físico e uma busca provocadora pela mulher perfeita. Em Apollon, a coreógrafa austríaca, juntamente com um elenco integralmente feminino, reinterpreta o ballet Apollon Musagète de George Balanchine, uma história patriarcal sobre o deus Apolo, que, nesta versão, é removido do seu trono com um sorriso no rosto. Holzinger usa esta peça neoclássica como ponto de partida para uma exploração impiedosa − tanto para o público quanto para as artistas − do voyeurismo, do culto do corpo, do sexismo e do génio artístico. Com uma estética que combina o freakshow e a live art dos anos 1960, Apollon oferece uma nova perspetiva sobre o fosso entre alta cultura e entretenimento popular.

 

Florentina Holzinger explora no seu trabalho os diferentes modos de representação feminina e questiona as normas estabelecidas da fisicalidade da mulher. Os seus espetáculos são intensamente físicos e celebram a expressão plena da resistência e da força da vida: criativa, sexual, física e humorística.

 

Este teatro tem esta newsletter
Fechar Pesquisa